A Entidade Reguladora para a Comunicação Social ilibou José Rodrigues dos Santos no caso em que se referiu ao deputado do PS Alexandre Quintanilha como tendo sido “eleito ou eleita”, noticia o Diário Económico. Muitos avaliaram estas palavras como uma crítica à orientação sexual do deputado, assumidamente homossexual, apresentando queixa à entidade.

A fonte do jornal afirmou que “o CDSJ conclui que, de acordo com as explicações apresentadas por José Rodrigues dos Santos, se está perante um lapso, que embora lamentável, resulta de erros processuais decorrentes da evolução do alinhamento do noticiário em causa”. O conselho admite então que não houve intenção por parte do jornalista da RTP de discriminar a orientação sexual de Alexandre Quintanilha.

Para a decisão do Conselho ainda contribuiu o facto de José Rodrigues dos Santos ter corrigido o erro no dia seguinte no mesmo espaço noticioso, “com o pedido de desculpas devido aos dois deputados que foram vítimas do seu engano”. A decisão acompanha o parecer Comissão da Carteira Profissional de Jornalista, que adjetivou o sucedido como “involuntário e induzido”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR