Barack Obama está em contagem decrescente, não só para o fim do mandato, marcado para setembro deste ano, mas também para a graduação de Malia, a filha mais velha, prestes a terminar o liceu.

O ainda presidente dos Estados Unidos da América comentou esta quarta-feira que recusou um convite para falar na cerimónia que assinala o fim do ensino secundário da filha, tipicamente americana, até porque, o mais provável, é marcar presença de “óculos de sol escuros e chorar“.

President Barack Obama, First Lady Michelle Obama, and daughters Sasha and Malia, pose for portrait photos in the Oval Office, Dec. 11, 2001. (Official White House Photo by Pete Souza)

Official White House Photo by Pete Souza

“A graduação da Malia é em junho. Não consigo falar sobre isso”, afirmou Obama, citado pela CNN, durante um almoço em Detroit. “Elas vão deixar o seu papá. É vergonhoso.”

Malia, a filha mais velha de Obama, está a terminar os anos de liceu na escola Sidwell Friends, em Washington, e ainda não anunciou em que faculdade pretende continuar os estudos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

https://www.youtube.com/watch?v=jfCQWSKeWUE

A emocionar-se, esta não será a primeira vez que Obama chora em público. O presidente norte-americano arrancou o ano de 2016 com as lágrimas nos olhos, quando no início no mês discursou sobre o controlo da venda livre de armas no país, relembrando as mortes de crianças provocadas pela violência com armas de fogo, perante algumas das suas famílias.

Antes disso, foi Aretha Franklin que, aos 73 anos de idade, terá derretido o coração de Obama ao interpretar You Make Me Feel Like A Natural Woman, no final de dezembro do ano passado.