Quase 90 mil pessoas ficaram hoje presas na ilha balnear sul-coreana de Jeju, depois de a maior queda de neve em três décadas ter obrigado ao encerramento do aeroporto pelo terceiro dia consecutivo.

Conhecida como o Havai da Coreia do Sul pelas suas praias e tempo quente, a ilha de Jeju foi atingida por uma onda de frio que levou os termómetros a temperaturas recorde, que se fizeram sentir em todo o país.

O popular destino de férias registou a maior queda de neve em três décadas desde sábado, com as temperaturas a caírem para -6,1 graus Celsius.

O Ministério dos Transportes indicou que o Aeroporto Internacional de Jeju vai permanecer fechado pelo menos até às 20:00 de hoje (11:00 em Lisboa), devido à queda intensa de neve e ventos fortes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Cerca de 1.100 voos foram cancelados no fim de semana e esta segunda-feira, deixando 86 mil turistas presos na ilha.

Milhares de pessoas foram obrigadas a dormir no aeroporto, recorrendo a cobertores e caixas de cartão para evitar o chão gelado.

Apesar de ter sido poupada à neve, a capital da Coreia do Sul, Seul, registou, no domingo, o dia mais frio em 15 anos, quando as temperaturas desceram para 18 graus negativos.