Um grupo de cientistas descobriu o maior sistema estelar dentro dos limites daquilo que se conhece do universo. Este sistema estelar é formado por um planeta e uma estrela, separados por um bilião de quilómetros de distância, avançam esta quarta-feira fontes académicas internacionais.

“Surpreendeu-nos muito encontrar um objeto de massa baixa [o planeta] tão longe da sua estrela mãe”, comentou Simon Murphy, da Faculdade de Astronomia e Astrofísica da Universidade Nacional Australiana. Este centro académico conta com uma equipa internacional de investigadores que estudam aquele planeta, conhecido como 2MASS J2126-8140.

Nos seus trabalhos, a equipa descobriu que este planeta tem uma massa 12 vezes superior à de Júpiter e orbita em redor de uma estrela anã chamada TYC 9486-927-1. Os dois corpos estão separados por uma distância equivalente a 6.900 unidades astronómicas – sendo que cada unidade astronómica equivale à distância da Terra ao Sol ou 149.597.870.700 metros. Assim a estrela e o planeta estão a 0,1 anos-luz um do outro, ou 1.000.000.000.000 quilómetros, segundo um comunicado da Universidade Nacional Australiana

Esta distância entre os dois astros faz com se torne “cerca de três vezes maior” do que aquele que era, até agora, considerado o maior sistema estelar.