Novo Banco

Investidores no Novo Banco contratam PLMJ e outra firma de advogados

PIMCO e BlackRock estão entre os investidores no Novo Banco que contrataram a portuguesa PLMJ e outra firma de advogados, a Clifford Chance, para tentarem reverter a decisão do Banco de Portugal.

TIAGO PETINGA/LUSA

Investidores nas obrigações que o Banco de Portugal retransferiu do Novo Banco para o BES – entre os quais os gigantes PIMCO e BlackRock – contrataram a portuguesa PLMJ e outra firma de advogados, a Clifford Chance, para desafiar juridicamente a decisão que foi tomada no final do ano passado e que torna provável que estes investidores incorram em perdas avultadas.

A informação foi avançada pela agência Bloomberg, que não especifica quem lhe passou a informação. O Observador contactou fonte oficial da PLMJ e está a aguardar uma resposta. A notícia será atualizada assim que esta chegar.

A decisão de avançar judicialmente surge na sequência de o Banco de Portugal ter selecionado algumas obrigações que tinham passado do BES para o Novo Banco e as ter feito, uma vez mais, regressar ao BES — onde terão uma escassa probabilidade de ser reembolsadas num montante que chegue perto do montante investido.

O Banco de Portugal justificou a decisão com o facto de sempre ter dito que poderia alterar o “perímetro dos ativos e passivos” do Novo Banco, mas os investidores vão questionar, ainda assim, a decisão não só de passar obrigações senior (emitidas com mais garantias) para o BES como, também, a decisão de escolher apenas cinco linhas de obrigações e não todas — o que pode violar o princípio de pari pasu.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt
Caixa Geral de Depósitos

Caixa para que te quero

Inês Domingos

Centeno quis a toda a força financiar a Caixa para lá do que seria aparentemente preciso, mas disse no Parlamento que não tem interesse no resultado da auditoria que revelou os desmandos socialistas. 

Liberalismo

Por uma alternativa política

Manuel Loureiro

Vivemos contentes com crescimentos poucochinhos, resignados a um aperto económico com que as famílias vivem? Se em 1974 ganhámos a democracia, não estará agora na hora de lutarmos pela liberdade?

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)