Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O líder religioso supremo iraniano, Ali Khamenei, revelou um vídeo onde voltou a pôr em causa os milhares de mortos da Alemanha nazi, afirmando que “não é claro” se o Holocausto foi “uma realidade ou não”. O vídeo “Acabou a idade das trevas?” foi publicado no seu site oficial, no mesmo dia em que se celebrou o Dia Internacional da Lembrança do Holocausto.

O Instituto de Investigação do Médio Oriente (MEMRI) traduziu as palavras do ayatollah de iraniano para inglês. Já em março de 2014, Ali Khamenei tinha afirmado, numa declaração pública, que não era claro que o holocausto tivesse mesmo acontecido. Mais tarde, no mesmo ano, afirmou que a Palestina não devia reconhecer Israel como um estado e, em novembro de 2015, afirmou ter um plano para aniquilar Israel.

“Ninguém nos países da Europa se atreve a falar do Holocausto, sobre se os aspetos centrais deste assunto são reais ou não. Mesmo que seja uma realidade, não é claro o que aconteceu. Falar do holocausto e expressar dúvidas sobre o mesmo é considerado um grande pecado. Se alguém tentar fazer isto, eles param-no, prendem-no e processam-no. E fazem isto enquanto afirmam ser defensores da liberdade. É esta a ignorância que existe no mundo hoje”, disse o ayatollah.

Na quarta-feira, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) criticou um concurso de cartoons sobre o Holocausto promovido no Irão, afirmando que representava “um espírito completamente oposto ao da UNESCO”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR