O Facebook divulgou os resultados do quatro trimestre de 2015 na quarta-feira e a grande novidade está nas receitas vindas da publicidade das aplicações móveis: no ano passado, converteram-se em 13 mil milhões de dólares, ou seja, cerca de 12 mil milhões de euros. Só no quatro trimestre foram responsáveis por 80% das receitas de publicidade do grupo, conta o Quartz. No ano anterior, tinham representado 69%.

Não é de estranhar se tiver em conta outro recorde: cerca de 90,6% dos utilizadores ativos do Facebook acedem à rede social através de um dispositivo móvel, mais 21% do que no ano anterior: são neste momento 1,44 mil milhões de utilizadores ativos que recorrem mensalmente a um smarphone ou tablet para aceder à rede. Cada uma destas pessoas gerou 4,83 dólares de receita em publicidade num ano.

No total, o Facebook conta com 1,59 mil milhões de utilizadores ativos mensalmente. E como não há duas sem três, o terceiro recorde mobile: cerca de mil milhões de utilizadores verificam as notificações da aplicação diariamente, um número que tem subido cerca de 25% de ano para ano.

Os resultados do quarto trimestre de 2015 deixaram os investidores animados, com as ações a subir 13% nas horas seguintes. Nem os investimentos em projetos de magnitude maior, como os que incluem realidade virtual ou inteligência artificial impediram que as receitas subissem 52% para 5,84 mil milhões de dólares (5,37 mil milhões de euros), ultrapassando as expectativas dos analistas, que apontavam para receitas na ordem dos 5,37 mil milhões de dólares (4,9 mil milhões de euros).

Mark Mahaney, analista de mercados na RBC Capital Markets responsável por acompanhar o Facebook afirmou, numa nota divulgada antes da apresentação dos resultados e citada pela Forbes, que a rede social liderada por Mark Zuckerberg vai expandir a forma como divulga publicidade na rede, com novos mercados. Os dados divulgados na quarta-feira mostram que as pessoas consomem 100 milhões de horas de vídeo diariamente no Facebook.