Foram mais de duas horas de reunião entre o ministro das Finanças, Mário Centeno, e os deputados do PS que fazem parte da comissão de Orçamento e Finanças. No final, e na sequência da divulgação do parecer da UTAO sobre o esboço do Orçamento do Estado, o deputado socialista que coordena os assuntos orçamentais, João Paulo Correia, limitou-se a remeter todas as explicações para o primeiro-ministro, que estará amanhã no Parlamento para o debate quinzenal.

De acordo com João Paulo Correia, a reunião teve como “único ponto na agenda” a preparação da audição de Mário Centeno sobre o caso Banif, que vai decorrer amanhã à tarde no Parlamento, depois de uma primeira audição ao governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. Sobre o Orçamento do Estado para 2016, cuja credibilidade está a ser questionada por várias entidades nacionais e comunitárias, o deputado socialista empurrou para o debate com o primeiro-ministro.

“Na sexta-feira, teremos o debate quinzenal com o senhor primeiro-ministro. Certamente, esse será o momento mais indicado para esclarecer a opinião pública”, disse aos jornalistas, remetendo também as questões sobre o Banif para o dia seguinte.

Ao que o Observador apurou, o encontro, que decorreu entre as 18h e as 20h30 no gabinete do secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, centrou-se quase exclusivamente nas explicações do ministro sobre o caso Banif, mas os deputados também questionaram Centeno sobre o relatório da UTAO divulgado esta quinta-feira, onde a unidade técnica de apoio ao Parlamento acusa o Governo de maquilhar o esforço orçamental. O tema, contudo, ocupou apenas “cinco minutos”, com o ministro a mostrar-se “seguro dos números” e a reforçar a ideia de haver interpretações diferentes entre a Comissão Europeia e o Governo.