A Organização Mundial de Saúde vai reunir de emergência. A possibilidade de termos 3 a 4 milhões casos positivos de vírus zika no mundo provocam uma situação alarmante.  A situação mais grave é a do Brasil, onde o ministério da Saúde estima a ocorrência de entre 497.593 e 1.482.701 casos em 2015, incluindo 3.893 casos de microcefalia. A Colômbia é o segundo país mais atingido, tendo sido confirmados 13.808 casos, incluindo em 890 grávidas, e 2.611 casos suspeitos.

Mas o vírus já subiu desde a América do Sul até à Europa. E assusta.

As principais imagens vêm do Brasil. Onde há 2 mil pessoas destacadas para explicar porta a porta o que fazer para evitar ser contagiado, militares nas ruas, e técnicos a pulverizar zonas icónicas, onde se concentram aglomerados de turistas, um deles o Sambódromo, que recebe o Carnaval já daqui a 15 dias.

Mas o que mais choca são mesmo os pais, as mulheres grávidas, uma vez que ainda que não o tenha sido confirmado cientificamente, parece de facto existir um relação entre o vírus e as microcelafias nos bebés.