Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É como o Lucky Luke, mais rápido do que a sombra, a escrever e disparar no Twitter. As criticas, comentários ofensivos, ideias, desabafos, teorias, pensamentos, doutrina e os argumentos políticos ganharam a forma de palavras na rede social. O New York Times reuniu muitos dos tweets mais ásperos de Donald Trump, candidato republicano à Casa Branca. A lista não tem fim, é um lençol de texto.

Os alvos são muitos. Trump, que rejeitou comparecer no último debate republicano antes das primárias, tem uma mira alargada, com tiros aos políticos em geral, países inteiros, jornais, rivais e até atores. Quem não está com ele, está contra ele, por isso a lança fica afiada. É uma espécie de Tarantino da política norte-americana. Chegou a dizer que podia dar um tiro a alguém na Fifth Avenue, que não perderia nenhum voto.

O Observador selecionou 20 dos seus alvos da longa lista do NYT. A banda sonora poderia ser “Tiro ao Álvaro” de Elis Regina e Adoniran Barbosa. Vamos a isto:

1. Políticos
“só conversa, sem ação”; “muito estúpido, pessoas altamente incompetentes a governar o nosso país até ao fundo”; “incompetente”; “estamos todos cansados [deles]”; “em queda”; “especialistas em nunca enfrentar a realidade;”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

2. The Washington Post
“esquema de impostos”; “imprecisos”; “desonestos”; “maus”; abrigo para grandes impostos”; “perde fortuna”

3. George W. Bush (ex-presidente norte-americano)
“o World Trade Center veio abaixo com ele no poder”; “no more Bushes“; “quer 120 mil dólares para fazer um discurso aborrecido”; “not nice!”

4. John McCain (ex-candidato à Casa Branca)
“não fez nada”; “não sou fã”; “tudo o que faz é ir à televisão falar, falar, falar”; “incapaz de fazer alguma coisa”; “falhou de forma miserável”; “fez um péssimo trabalho a cuidar dos veteranos”; “desiludiu-nos”; “boneco”; “último da sua turma”; “deveria ser derrotado nas primárias”.

5. The New York Times
“autoriza jornalistas desonestos a fabricar histórias”; “em queda”; “mudem a história falsa”; “falhando”; “deveria focar-se em reportar de forma justa e equilibrada”; “artigos chatos”; “ajuda grande será necessária rapidamente”; “triste!”; “tomou todas as más decisões na última década”; “incompetente”; “drogam-se”; “pessimamente gerido”; “deveria focar-se em reportar bem e na sobrevivência financeira do jornal”.

6. Candidatos presidenciais republicanos
“imploram por dinheiro, etc, aos irmãos Koch”; “marionetas”.

6. Administração Obama
“a incompetência é para lá de compreensível”

7. Barack Obama (presidente norte-americano)
“passa tanto tempo a falar na chamada pegada de carbono, e, ainda assim, depois voa para o Hawaii num grande e velho 747”; “estará o nosso presidente louco?”; “terrível atitude”; “ele é simplesmente tão mau”; “fiz melhor no “60 Minutes” na semana passada do que o presidente Obama ontem”; “terrível”; “líder incompreensível”; “só conversa e zero ação”; “fraco e ineficaz”.

8. Bill Clinton (ex-presidente norte-americano)
“hipócrita”; “terrível”; “falhou redondamente”; “foi chamado de racista”; “demonstrou uma inclinação para o racismo”; “tão inapropriada”.

9. Ben Carson (candidato à Casa Branca)
“incapaz de compreender a política externa”; “muito fraco em imigração ilegal”; “muitas mentiras de Ben Carson”; “as pirâmides foram construídas para guardar grãos — as pessoas não percebem isso”?; “muito fraco em imigração ilegal”; “nunca criou um trabalho na sua vida (bem, talvez a uma enfermeira)”.

10. Whoopi Goldberg (atriz)
“completamente em queda livre”; “terrível”; “muito triste”.

11. Reino Unido
“tentando arduamente mascarar o seu grande problema muçulmano”

12. Alemanha
“um grande e confuso crime”; “a cometer crimes para com as suas pessoas ao permitir que os migrantes entrem no país”.

13. Irão
“fazem muitas coisas más nas nossas costas”.

14. México
“governo completamente corrupto”; “totalmente corrupto”; “recebemos os assassinos, drogados e crime, eles recebem o dinheiro”; “corrupção inacreditável”; “não são nossos amigos”; “estão a matar-nos”.

15. Bernie Sanders (candidato à Casa Branca)
“doido”; “um desastre”

16. Jeb Bush (candidato à Casa Branca)

“deveria ir para casa e relaxar”; “um tipo sem energia”; “chances de ganhar são zero”; “sem hipóteses”; “candidato falhado”; “realmente patético”; “a campanha é um desastre”; “não consegue ganhar”; “publicidade enganosa”; “ineficaz”; “marioneta”; “mensagem estúpida”; “muito fraco em imigração ilegal”; “teve uma pequena audiência com 300 pessoas”; “nunca assegurará a fronteira”.

17. Hillary Clinton (candidata à Casa Branca)
“mentiu na semana passada”; “não tem a força e energia para ser presidente”; “candidata cheia de falhas”; “patética”; “mentiu no debate ontem à noite”; “pessoa desleal”; “fraca e ineficaz”; “será derrotada em grande”; “medo de Obama e dos emails”; “corrupção é no que é melhor”; “completamente incompetente como gestora e líder”; “parece perdida”; “os resultados dela são tão maus”.

18. Ted Cruz (candidato à Casa Branca)
“não quer saber da verdade”; “descuidado”; “uma pilha de nervos”; “as pessoas não gostam do Ted”; “caindo nas sondagens”; “gastando milhões de dólares em anúncios pagos pelos seus patrões de Nova Iorque”; “hipócrita”; “o último hipócrita”; “falaria nas minhas costas, seria descoberto, e negaria depois”; “ele vai cair como os outros”.

19. Carly Fiorina (candidata à Casa Branca)
“a campanha está morta”; “campanha falhada”; “se ouvirem Carly Fiorina durante mais de dez minutos seguidos, desenvolvem uma grande dor de cabeça”; “tem zero chances”.

20. Martin O’Malley (candidato à Casa Branca)
“falhou”; “um palhaço”; “tem muito poucas chances”.

nyt

Aqui está um print screen do artigo do New York Times.