A Polícia Judiciária está a realizar buscas na sede da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), em Carnaxide, e no aeródromo de Ponte Sor, disse à Lusa fonte policial. No âmbito da mesma investigação, a empresa de aviação Everjets foi também alvo de buscas durante esta sexta-feira.

Uma outra fonte adiantou que os elementos da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ estão a recolher documentos relacionados com contratos efetuados pela ANPC.

“No âmbito de inquérito dirigido pelo Ministério Público, em investigação na 9.a Secção do DIAP de Lisboa, realizam-se buscas domiciliárias e não domiciliárias. Em causa estão suspeitas da prática dos crimes de corrupção, participação económica em negócio, falsificação e prevaricação. Os factos em investigação estão relacionados com a contratação internacional para a aquisição de meios aéreos de combate aos incêndios”, pode ler-se na nota da Procuradoria-Geral da República enviada às redações.

Segundo o Expresso, está em causa a compra e venda dos helicópteros russos de combate a incêndios. Uma outra fonte adiantou que os elementos da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ estão a recolher documentos relacionados com contratos efetuados pela ANPC. O Ministério da Administração Interna confirmou à Lusa a presença de elementos da PJ nas instalações da ANPC, sublinhando que prestará toda a colaboração às autoridades.

O Expresso recorda ainda que desde que foram comprados — há dez anos, pelo então ministro da Administração Interna, António Costa — os dez helicópteros, que custaram 62 milhões de euros, estiveram sempre sob polémica. No último verão, dos dez, apenas três estavam operacionais (um, por reparar, estará no aeródromo de Ponte de Sor). Atualmente, já só dois estarão por reparar, sendo que a fatura para a reparação de ambos será de sete milhões.

“O Conselho de Administração da Everjets reitera a sua disponibilidade para prestar todos os esclarecimentos às autoridades”

No âmbito da mesma investigação, a empresa de aviação Everjets foi também alvo de buscas, esta sexta-feira, pela Polícia Judiciária. Fonte ligada ao processo revelou à agência Lusa que as buscas estão relacionadas com o concurso para a manutenção e operação helicópteros kamov, utilizados no combate aos incêndios florestais.

Em comunicado, a Everjets confirma “a realização de diligências levadas a cabo pelas autoridades na sua sede durante a manhã de hoje”.

“O Conselho de Administração da Everjets reitera a sua disponibilidade para prestar todos os esclarecimentos às autoridades, como fez até agora, e congratula-se pelo facto de haver finalmente desenvolvimentos neste processo, esperando que possam agora ficar esclarecidas todas as questões relacionadas com o processo e com o alegado envolvimento da Everjets”, adianta a empresa.