Alpacas, burros anões, repteis, coelhos e pássaros de muitas espécies, além dos mais tradicionais cães, gatos e galinhas são alguns dos 2.500 animais de companhia e de quinta que podem encontrar-se este fim de semana na Feira Internacional de Lisboa (FIL).

Rui Luís, proprietário da Quinta dos Bichos, levou para a FIL uma “pequena mostra” do que tem e explicou, em declarações à agência Lusa, porque é que a feira é para “miúdos e graúdos”.

“A malta nova muitas vezes nunca viu sequer uma ovelha. Os mais velhos, pessoas da minha idade, por outro lado, ficam surpreendidos com as diferentes raças”, e dá como exemplo o carneiro de quatro cornos.

O PET Festival vai na 5.ª edição e, além de competições, incluindo de cavalos, e das exposições das diversas espécies, faz-se cada vez mais também da divulgação de novos serviços e negócios, em torno deste mundo.

É possível encontrar serviços de pedagogia animal, saúde e bem-estar, desde os hotéis e SPA, às barbearias.

Por 90 euros pode também contratar-se uma sessão fotográfica com o animal de companhia, um dos novos negócios que surgiram, nos últimos anos.

É permitido visitar a feira, acompanhado do animal de estimação e, se o visitante não possui um, pode sempre comprar ou adotar algum, ali mesmo.

Adotar em vez de comprar é aliás o lema da Animalife, que pretende acabar com o abandono dos animais em Portugal. Nesta feira é o parceiro da FIL e da Fundação Associação Industrial Portuguesa (AIP), os organizadores do evento, na parte dedicada ao “Parque Pedagógico”.

A ação da Animalife chega também às ruas, onde é dado apoio aos animais de estimação dos sem-abrigo, desparasitando-os e levando-os ao veterinário quando necessário, como explicou à agência Lusa João Gonçalves, da direção.

“É uma realidade que há muitos animais a viver na rua e nós vamos nas rondas de associações de apoio – a associação Vida e Paz é um exemplo -, saber o que eles precisam. Muitas vezes o processo de retirar o sem-abrigo da rua está bloqueado, porque o animal não tem uma solução e os sem abrigo não querem separar-se, nem nós queremos quebrar esse laço”, referiu João Gonçalves, que sublinha tratar-se também de uma questão de saúde pública.

Para quem preferir comprar, há animais de todos os tamanhos, espécies e preços. Por 450 euros, por exemplo, é possível adquirir um bulldog francês – mas saiba que o preço é superior ao do burro anão macho da Quinta dos Bichos, por exemplo.

No total, há 150 expositores e, na edição passada, o PET Festival recebeu 35 mil visitantes, dos quais cerca de 5.000 foram acompanhados pelos seus animais de estimação, apresentando boletim de vacinas e ‘chip’.