Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O valor total do investimento realizado no quadro dos vistos Gold, até ao final de 2015, foi de 1,69 mil milhões de euros disse hoje à Lusa fonte oficial dos Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

“O valor total do investimento realizado é de 1.693.732.624,52 euros, dos quais 165.452.363,31 de euros por transferência de capitais e 1.528.280.261,21 de euros pela aquisição de bens imóveis”, adiantou a mesma fonte.

As Autorizações de Residência para Atividade de Investimento (ARI), conhecidas como vistos Gold, entraram em vigor no dia 08 de outubro de 2012.

De acordo com a fonte do SEF, desde o início do programa e de acordo com os dados disponíveis a 31 dezembro de 2015, foram concedidas 2.788 ARI, das quais 2.635 pela aquisição de bens imóveis, 149 por transferência de capitais, e quatro pela criação de pelo menos 10 postos de trabalho.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Dados divulgados recentemente pelo Ministério da Administração Interna indicavam que existem cerca de oito mil autorizações de residência pendentes, das quais cerca de quatro mil são referentes a vistos Gold.

Segundo a fonte oficial do SEF, a gestão do processo das Autorizações de Residência para Atividade de Investimento está sujeita a fatores como a descentralização da tramitação dos processos em resultado de recomendações da Inspeção Geral da Administração Interna; o tratamento das ARI em condições de igualdade face aos restantes processos; a suspensão da tramitação durante um mês devido à recente alteração legislativa e, “em larga medida”, a entrega de processos incompletos por parte dos requerentes.

“O SEF garante o escrupuloso cumprimento da lei na tramitação das ARI”, sublinhou.

Os ministérios da Administração Interna e dos Negócios Estrangeiros criaram uma equipa especializada para recuperar os atrasos registados nos pedidos e renovações de todas as autorizações de residência em Portugal, incluindo os vistos ‘gold’.

Segundo a mesma fonte, a equipa é coordenada pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e composta por elementos da GNR, PSP, secretaria-Geral do MAI e Ministério dos Negócios Estrangeiros.