O árbitro Cosme Machado, de Braga, assumiu, na noite de domingo, ter errado no lance que originou o segundo golo da Académica, em Alvalade, frente ao Sporting, em encontro da 20.ª jornada da I Liga de futebol, no sábado.

“Não foi correta a decisão, tanto minha como do árbitro assistente. Mas quero dizer que a decisão foi tomada por mim, sou o chefe de equipa e estou a assumir a decisão como responsável pela equipa de arbitragem”, disse Cosme Machado, em declarações à SIC.

O árbitro bracarense afirmou que gostaria que a decisão tivesse sido diferente: “Ninguém mais do que nós, tanto eu como o Alfredo Braga, se sente triste com uma decisão errada. Infelizmente foi tomada naquele momento porque somos humanos e erramos também”.

Cosme Machado explicou também que, na altura do segundo golo da Académica, o árbitro assistente “chamou para falarmos próximos” e “disse-lhe que tinha dúvidas sobre o posicionamento do jogador (da Académica) se tinha influência na ação ou não do defesa, mas foi o defesa que fez o atraso”. Confrontado com estas dúvidas do chefe da equipa, o assistente terá dito “para validar o golo e validei o golo”.

Já em relação a outros possíveis erros, como o pénalti não assinalado sobre Carlos Mané, ou sobre a expulsão de Jorge Jesus, Cosme Machado decidiu não fazer comentários.

Em conferência de imprensa, logo a seguir ao jogo, que acabou com uma vitória por 3-2 para o clube de Alvalade, o dirigente do Sporting, Octávio Machado não poupou críticas à arbitragem de Cosme Machado.

“Fico muito triste por dizer isto, mas o senhor Cosme Machado não tem condições, enquanto árbitro, não tem qualidade para estar na primeira divisão. E gostava que o senhor Vítor Pereira [presidente do Conselho de Arbitragem] nunca mais o nomeasse para jogos do Sporting”, afirmou.