Espanha continua num impasse sobre o Governo, com Mariano Rajoy a dizer que só conversa com Pedro Sanchez se o PSOE apoiar um Governo liderado pelo PP. O primeiro-ministro ainda em funções, já que as eleições não deram uma maioria clara entre nenhum partido e ainda não foram formadas quaisquer coligações, diz que realização de novas eleições não são do interesse do país.

“Sem o PSOE, o PP não pode firmar Governo, situação que penso ser a que melhor defende os interesses dos espanhóis”, disse o líder do PP à saída do encontro com o rei Felipe VI. Para a resolução deste impasse, Rajoy diz que há duas opções, ou se “opta pela moderação”, ou se opta “pelo radicalismo”, falando da opção de o PSOE formar Governo com o Podemos, uma possibilidade que Pablo Iglesias, líder do Podemos, rejeita caso o entendimento inclua também o partido Ciudadanos. Rajoy disse ainda que esta não seria uma solução boa para a economia do país.

“Disse ao rei que não tenho maioria para formar Governo porque o PSOE se nega ao diálogo. Eu não posso garantir um Governo estável”, assegurou Rajoy, dizendo que o rei não lhe voltou a pedir esta terça-feira que formasse Governo. Ainda na conferência de imprensa, Rajoy disse que respeitaria a decisão do rei, caso este decidisse dar posse a Pedro Sanchez.

Quanto a novas eleições, o ainda chefe do Governo diz que essa situação não é do interesse do país, mas que caso se realizassem, ele continuará a ser cabeça de lista pelo PP.