A Amazon pode estar a preparar-se para se lançar no mercado do streaming de música, revelou uma fonte próxima da empresa ao jornal New York Post. A empresa norte-americana já vende música em streaming através do serviço Prime, mas o catálogo é limitado (tem apenas cerca de um milhão de canções, 30 vezes menos que o catálogo da Spotify, por exemplo). Agora, a aposta pode ser séria: o New York Post fala mesmo num “Spotify-killer”, ou seja, num serviço capaz de derrotar o poderio do serviço de streaming sueco.

Segundo a fonte do jornal nova-iorquino, alguns dos principais executivos da Amazon já se terão reunido com alguns executivos da indústria musical, para tentar chegar a um acordo próximo daquele que os outros serviços de música (como o Google Play, o Tidal, a Apple Music e o Spotify, por exemplo) obtiveram.

A empresa está a pensar cobrar aos futuros subscriptores um preço de 9,99 dólares (cerca de 9,1 euros, à taxa de câmbio atual), embora possa fazer um desconto aos subscritores de outros serviços da empresa, como o Prime ou o Echo, por exemplo. O New York Post diz mesmo que o desconto poderá ser de 3 a 4 dólares (cerca de 2,8€ a 3,7€) para os subscritores do Amazon Echo.

O lançamento do serviço, por parte da empresa que é a maior vendedora de música em formato físico nos EUA (e a segunda maior na venda de música em formato digital – logo atrás do iTunes), poderá acontecer já no próximo outono, acrescenta a publicação norte-americana.