A imagem peregrina de N.S. de Fátima chega na quinta-feira à cidade Lisboa, onde permanecerá até domingo, com passagem pelas igrejas do Campo Grande e de S. Domingos, pela Sé, pela Universidade Católica e pelo Hospital D. Estefânia.

A imagem chega na quinta-feira, pelas 19h, ao bairro das Galinheiras, onde será celebrada missa, e partirá em cortejo automóvel para a igreja de N. S. de Fátima, com saída do largo das Galinheiras em direção à estrada Militar, seguindo pela estrada de S. Bartolomeu, avenida Nuno Krus Abecassis, avenida do Brasil, Campo Grande, Entrecampos, avenida da República, estimando-se para as 21h a chegada ao templo.

Na igreja de N. S. de Fátima, às 21h30, o coro diocesano interpreta “Akathistos” (“cantado de pé”, em tradução literal), que é um antigo hino mariano do rito bizantino, que convida os fiéis “a contemplar todo o mistério da encarnação, desde a anunciação até à consumação, na glória de toda a obra da salvação”, segundo nota do Patriarcado.

Na sexta-feira, naquela igreja, será celebrada missa pelas 09h, saindo a imagem em direção à Universidade Católica, onde deverá ser acolhida às 10:40, e celebrada missa, pelas 12h, presidida pelo cardeal-patriarca Manuel Clemente. A imagem sairá da universidade pelas 13h30, em direção à igreja dos Santos Reis Magos, no Campo Grande, onde às 14:30, se realizará a celebração mariana, com doentes, pessoas com deficiência e idosos, “Entregar a Maria as nossas fragilidades”.

Pelas 17h, a imagem regressará à igreja de N. S. de Fátima, onde, às 18:00, se celebrará missa. Às 19h00, a Escola Diocesana de Música Sacra interpretará a cantata “Gaudi Fons”, que o Patriarcado define como um “momento de oração e meditação”, com leituras e cânticos a partir de textos do papa Francisco, que “ajudará também a ligar este momento da visita da imagem peregrina de N. S. de Fátima com o Sínodo Diocesano que estamos a viver”.

Às 21h30, terá lugar a iniciativa “Rezar a N. S. de Fátima pela voz dos artistas”, que conta com a atuação do Coro Gulbenkian, sob a direção de Jorge Matta, e Sérgio Silva, em órgão.

O coro interpretará duas antífonas marianas de compositores portugueses dos séculos XVII e XVIII – “Recordare Virgo Mater”, para dois coros, de Diogo Dias Melgás, e Magnificat, para dois coros, solistas e baixo contínuo, de Francisco António de Almeida.

Os atores Miguel Loureiro, Teresa Sobral e Álvaro Correia lerão poemas sobre a vida de Maria, e a fadista Katia Guerreiro vai interpretar “fados marianos”.

No sábado, pelas 09h, realizar-se-á o encontro com crianças e famílias da cidade, estando previsto a exibição de um filme e a recitação meditada do terço, numa cerimónia que termina com uma bênção

À tarde, pelas 15h, nova recitação meditada do terço, partindo a imagem em direção ao Hospital D. Estefânia, de onde, às 17h, se formara uma procissão das velas, até à igreja de S. Domingos, na baixa.

A procissão vai passar pelas ruas Jacinta Marto e Febo Moniz, pela avenida Almirante Reis, pelas ruas da Palma e D. Duarte, pela praça da Figueira e rua D. Antão de Almada, entrando finalmente na igreja de S. Domingos, onde vai ser celebrada a eucaristia, pelas 19h, antecedendo uma vigília de oração, às 21h, organizada por jovens.

No domingo, pelas 10h, a imagem de N.S. de Fátima seguirá para a Sé, em cortejo automóvel, onde chegará pelas 10h15, sendo celebrada missa às 11h30.

A imagem permanecerá na Sé até às 15h, saindo em direção ao mosteiro dos Jerónimos, pelo largo de St.º António da Sé, seguindo depois pelas ruas de Santo António da Sé, da Conceição, Áurea, pela praça do Comércio e pelas avenidas Ribeira das Naus, 24 de julho e da Índia, até chegar à Praça Império.

Às 16h, o cardeal-patriarca presidirá a missa de despedida, seguindo a imagem para o Santuário de N. S. Fátima, na diocese de Leiria-Fátima.

A imagem de N. S. de Fátima iniciou, no passado dia 17 de janeiro, uma peregrinação pelo Patriarcado de Lisboa, passando pelas 17 vigararias da diocese, uma iniciativa que se realiza no âmbito do programa de preparação para o centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima, que se celebra em 2017, e tem como tema “Donde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor”, frase extraída do Evangelho segundo S. Lucas.