O Podemos ultrapassou o PSOE na intenção de voto dos espanhóis. Esta é a principal conclusão da sondagem divulgada esta quinta-feira que põe a força política de Pablo Iglesias em segundo lugar, a seguir ao PP, que continua a crescer. Face ao resultado das eleições de 20 de dezembro, as diferenças não são muito grandes, mas suficientes para baralhar as negociações de Pedro Sánchez que está a procurar entendimentos à esquerda para formar Governo.

Para além do PSOE, que perde quase 2 pontos percentuais face às eleições (onde teve o seu pior resultado de sempre) – esta sondagem do Centro de Investigaciones Sociológicas e divulgada pelo ABC dá 20,5% aos socialistas, face aos 22,01%  obtidos em dezembro. Também o Ciudadanos perde intenções de voto, ficando-se agora com 13,3% das preferências dos espanhóis – teve 13,93 em dezembro..

No entanto, a subida do Podemos, que se traduz em 1,3 pontos percentuais face às eleições de dezembro – teve então 20,66% e esta sondagem dá-lhe 21,9% -, pode ser enganadora já que abrange também os seus parceiros regionais, relações complicadas neste momento, com o En Comú Podem, de Barcelona, prestes a romper com a formação de Iglésias.

O PP cresce, mas pouco. Nas eleições teve 28,72% dos votos e esta sondagem dá-lhe 28,8%, uma subida que na prática, em termos de mandatos, não teria grande repercussão, já que neste momento o PP tem 123 deputados e precisaria de 176 para obter a maioria.

Sem grandes mudanças, esta sondagem pode ter um efeito nas negociações para a formação de um novo Governo em Espanha, tarefa encabeçada agora por Sánchez que procura apoios sólidos à esquerda.