Morte

Dave Mirra. Lenda do desporto radical encontrado morto

785

O corpo de Dave Mirra foi encontrado numa carrinha na Carolina do Norte com um ferimento de bala que parece ter sido auto-infligido. Polícia investiga causas da morte

Christian Petersen

Dave Mirra, uma autêntica lenda do desporto radical e em concreto do BMX e dos famosos X Games, foi encontrado morto no Estado americano da Carolina do Norte com um ferimento de bala alegadamente auto-induzido.

A polícia de Greenville, confirmou em comunicado que o corpo do desportista de 41 anos foi encontrado dentro de uma carrinha por volta das 4 da manhã desta quinta-feira. Para além disso, as autoridades dizem que Mirra estava a visitar amigos e a família na zona antes do ocorrido.

No mesmo comunicado a polícia revela que está a ser realizada uma investigação às causas da morte, sendo que a hipótese de suicídio será a que está a ganhar mais força neste momento.

Mirra deixa assim a mulher e dois filhos e uma carreira de sucesso nos desportos radicais conquistando o recorde do maior número de medalhas na história dos X Games com apenas 24 anos de idade.

88858542

O Mayor da cidade de Greenville, Allen Thomas, também reagiu para afirmar, citado pelo Independent, que “lamentamos a perda de hoje, de um grande amigo e um ser humano maravilhoso que tocou as vidas de tantos por todo o mundo com o seu talento”.

O canal desportivo ESPN, também publicou um comunicado: “Dave Mirra, a tua coragem, determinação e habilidade natural em tudo o que perseguias ajudou o mundo dos desportos de ação a tornar-se num sítio melhor. De todos nós nos X Games e ESPN, saudamos as tuas contribuições”, antes de apresentar as condolências a toda a família do desportista.

Outra lenda do desporto, neste caso o skater mais famoso do mundo, Tony Hawk, também deixou uma mensagem ao falecido Mirra:

“Adeus Dave Mirra, um verdadeiro pioneiro, ícone e lenda. Obrigado pelas memórias… estamos de coração partido.”

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Conflitos

Mediterrâneo

Luis Teixeira

Huntington defendeu, como Braudel, que a realidade de longa duração das civilizações se sobrepõe a outras realidades, incluindo os Estados-nação em que se supôs que a nova ordem mundial iria assentar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)