Há ministros de António Costa que escolhem o Deutsche Bank, instituição bancária alemã, para guardarem e fazerem render as suas poupanças, de acordo com as declarações de rendimentos entregues ao Tribunal Constitucional e que o Observador consultou. Quase todos mantêm algum tipo de depósito a prazo na Caixa Geral de Depósitos e, quando se trata de pedir empréstimos, há quem recorra ao Montepio.

Já quando se trata de investir em ações dos próprios bancos, há várias situações diferentes. Manuela Leitão Marques, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, que possui uma das carteiras de investimentos mais diversificadas entre os seus colegas, tem ações do BPI no valor de 11.216,70 euros. Azeredo Lopes, ministro da Defesa, possui mais de 40.000 euros em ações do Millennium BCP. Mário Centeno tem cerca de 13 mil euros em obrigações da Caixa Geral de Depósitos, embora mantenha grande parte dos seus investimentos no Millenium BCP — especialmente em fundos de investimento — e ainda no Banco Best.

Já Constança Urbano de Sousa, ministra da Administração Interna, optou por ter obrigações do Deutsche Bank — 10 mil euros — e, tal como outras duas ministras, escolheu um banco alemão para assegurar as suas poupanças e investimentos. Também Maria Leitão Marques e Francisca Van Dunem, ministra da Justiça, optaram por este banco. Van Dunem tem a totalidade das suas poupanças, mais de 220 mil euros, no banco alemão.

No entanto, a ministra fez um dos seus empréstimos ao Montepio, no valor de 34.600 euros. Também Ana Paula Vitorino, ministra do Mar, escolheu este banco para fazer três empréstimos que perfazem mais de 200 mil euros. Outros ministros, como Eduardo Cabrita, ministro-adjunto, e Constança Urbano e Sousa têm os seus créditos na Caixa Geral de Depósitos — a ministra também mantém neste banco o seu PPR e os seus depósitos a prazo.

Sem empréstimos, Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação, tem grande parte das suas poupanças em libras e, depois de ter vivido vários anos no Reino Unido, no Barclays — o maior banco do país. João Matos Fernandes, ministro do Ambiente, mantém um depósito a prazo no BPI em dólares e Ana Paula Vitorino tem uma conta em metical, moeda moçambicana.