A União Europeia recordou, este sábado, Ancara do dever, à luz do Direito Internacional, de acolher os milhares de refugiados sírios bloqueados na fronteira sírio-turca depois de terem fugido da ofensiva do Exército do regime apoiado pela aviação russa.

“A Convenção de Genebra, que estipula que é preciso acolher os refugiados, é sempre válida”, declarou o comissário para o Alargamento, Johannes Hahn, quando chegava para uma reunião da União Europeia (UE) em Amesterdão. O comissário falava depois de ser questionado sobre o facto da Turquia ter fechado o posto fronteiriço de Oncupinar (denominado Bab al-Salama do lado sírio), a sul da cidade turca de Kilis, onde não foi autorizada qualquer entrada ou saída do território turco na sexta-feira.

Segundo os últimos números divulgados pela ONU, 20.000 pessoas já estão do lado sírio deste posto fronteiriço, enquanto se estima que a ofensiva do regime sírio na província de Alepo (norte da Síria) apoiada por mais de mil ataques aéreos russos levou cerca de 40.000 civis a fugirem de casa desde a última segunda-feira.