A Bolsa de Atenas estava a meio da manhã a cair mais de 6% na sequência da queda de 19,11% das cotações do setor bancário.

A queda da bolsa surge numa altura de turbulências para o Governo de esquerda radical que enfrenta contestação social e exigências de rigor dos credores do país.

A cair desde o início da sessão, o principal índice da bolsa de Atenas, o ASE, estava pouco depois das 11:24 em Lisboa a cair 6,35% para 471,90 pontos.

À mesma hora, o índice bancário FTSEB estava a perder 19,61%.

A 05 de fevereiro, o ministro das Finanças grego, Euclide Tsakalotos, disse que a Grécia espera concluir as negociações com os credores sobre o avanço das reformas “até ao fim de fevereiro”, após uma semana de conversações difíceis em Atenas.

“Houve pontos de convergência e outros que necessitam de progressos a nível político e técnico”, indicou o ministro, citado pela agência noticiosa grega Ana, sem entrar em detalhes sobre os assuntos abordados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Após sucessivos encontros com vários ministros, Declan Costello, da Comissão Europeia, Rasmus Rüffer, do Banco Central Europeu (BCE), Nicola Giammarioli, do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MES) e Delia Velculescu, do Fundo Monetário Internacional (FMI), devem regressar a Atenas dentro de duas semanas para “a última fase de negociações”, disse o ministro na sexta-feira passada.

Tsakalotos indicou que as duas partes estão de acordo “sobre a estrutura” das medidas previstas em matéria de impostos e de reformas.