Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Quer recebam um Óscar ou não, todos os nomeados têm como certo um pacote de presentes que, este ano, ronda os 200 mil dólares – qualquer coisa como 180 mil euros. Entre cremes e tratamentos corporais, há também viagens a Israel e ao Japão. Só experiências de luxo concedidas por marcas que procuram fazer publicidades através das estrelas de cinema.

Segundo o “The Guardian“, este ano todos os nomeados têm direito ao pacote de presentes mais caro de sempre preparado por uma empresa de Los Angeles, a Distinctive Assets. No ano passado rondou os 125 mil dólares (cerca de 112 mil euros).

Uma viagem em primeira classe a Israel é o presente mais caro. Custa 55 mil dólares (cerca de 49 270 euros). Segue-se outra para conhecer o Japão a pé (45 mil dólares). Entre os presentes há ainda um ano de aluguer ilimitado de carros Audi e um vale vitalício de cremes para a pele da marca Lizora. As mulheres recebem um extra: um brinquedo sexual.

Alguns presentes não darão tanto jeito a alguns nomeados, como a Leonardo Di Caprio na corrida pela estatueta dourada de melhor ator. É o caso de um tratamento inovador para aumentar o peito – uma técnica que usa o sangue do paciente e recusa implantes. No pacote de presentes, destaque ainda para um tratamento de pele a laser.

A 88ª cerimónia de entrega dos Óscares está marcada para 28 de fevereiro e vai ser apresentada pelo comediante Chris Rock, no Dolby Theatre em Hollywood.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR