O Presidente da República de Cabo Verde pediu esta terça-feira aos concorrentes, partidos, listas e candidatos às eleições que no período eleitoral pautem a sua conduta pela observância dos princípios, regras e limites do combate democrático.

“Num período de preparação de eleições próximas, é normal que haja algum nervosismo, alguma picardia política, um dinamismo extra no sentido de cada um ganhar vantagens numa luta que se pretende democrática, leal, viva e rica, como é timbre de sociedades abertas”, notou Jorge Carlos Fonseca.

Numa mensagem publicada na sua página pessoal no Facebook, o mais alto magistrado da Nação cabo-verdiana escreve, porém, que “tudo isso é natural, legítimo e salutar”.

“No entanto, é necessário que todos os concorrentes, partidos, listas, candidatos reais e putativos ou em regime de teste ou experiência pautem a sua conduta pela observância dos princípios, regras e limites do combate democrático. Sobremaneira os responsáveis políticos devem procurar mitigar a ansiedade, dosear o nervosismo, conter a tentação do excesso verbal”, apelou.

Como Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca afirmou que procurará facilitar, potenciar, dar o exemplo da serenidade, do culto da estabilidade e da defesa e promoção permanente dos valores da liberdade, da lisura democrática, da isenção dos órgãos de comunicação.

“Toda a ambição é legítima num regime marcado pelo pluralismo político social e cultural, desde que, evidentemente, se acolham e se alimentem do núcleo essencial e irredutível dos valores por que optámos como ingrediente de rega da nossa vivência coletiva. Os olhos, todos os olhos, estão virados para nós”, terminou o chefe de Estado.

Cabo Verde realiza este ano todas as eleições, a começar a 20 de março pelas legislativas, seguindo-se as autárquicas e presidenciais, ainda por marcar.

Ao ato eleitoral de 20 de março concorrem seis partidos: o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – no poder), o Movimento para a Democracia (MpD,), a União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) e o Partido Social Democrata (PSD), o Partido Popular (PP) e o Partido do Trabalho e da Solidariedade (PTS).