(Artigo atualizado às 17h08 de 9 de fevereiro)

Uma colisão frontal entre dois comboios em Bad Aibling, uma localidade a cerca de 60 quilómetros de Munique, Alemanha, fez pelo menos nove mortos e 81 feridos, 10 em estado crítico, anunciou esta manhã a polícia alemã.

As reações não se fizeram tardar. A chanceler Angela Merkel afirmou estar “consternada e triste” com o sucedido. “Envio os meus sentimentos em especial para as famílias das nove pessoas que perderam as suas vidas”, disse.

A colisão aconteceu perto das 07h00 (06h00 em Lisboa) quando dois comboios viajavam na mesma linha entre Rosenheim e Holzkirchen, em Bad Aibling, um local de difícil acesso no sudeste de Munique. A causa do acidente ainda é desconhecida, disse o porta-voz da polícia federal alemã Rainer Scharf, citado pela agência de notícias Associated Press.

Segundo a agência de notícias DPA, o ministro dos Transportes alemão, Alexander Dobrindt, avançou que duas caixas negras dos comboios em questão estão a ser examinadas. Há ainda uma terceira caixa negra que ainda não foi encontrada. Segundo o ministro, na altura do acidente estava em funcionamento um sistema contra este tipo de acidentes — que trava um comboio quando ele ultrapassa um sinal de “stop” –, mas ainda não é sabido se houve alguma avaria nesse instrumento de segurança. Dobrindt também referiu que os ambos os comboios se deslocavam a uma velocidade de 100 quilómetros à hora quando chocaram um com o outro e que os condutores não foram a tempo de travar.

“Uma vez que a colisão aconteceu numa curva, é possível que os dois condutores não tenham visto o outro comboio antes do choque”, disse Dobrindt, afastando para já assegurar se o acidente se deveu a falha técnica ou humana.

A empresa que fabricou os dois comboios também disse publicamente que não consegue avançar com uma razão para o acidente. Os dois comboios terão descarrilado parcialmente e embateram de frente, segundo as autoridades.

Bad Aibling

Nesta altura, a grande incerteza é a evolução dos feridos em estado mais grave. Nas contas da polícia alemã, agora corrigidas pelas autoridades, 81 pessoas terão sofrido ferimentos no acidente, das quais 10 estão em estado crítico, oito em estado muito grave e 63 com ferimentos ligeiros. A polícia alemã admite que o número de mortos ainda pode aumentar dependendo da evolução dos passageiros em estado crítico.

Devido à gravidade do acidente, o banco de sangue de Munique fez um apelo aos doadores para que ajudem no que dizem ser um grande aumento na necessidade de sangue na cidade.

O apelo pede aos doadores que compareçam “imediatamente” no centro que têm no centro de Munique, parte da clínica municipal.

O acidente ferroviário da manhã de terça-feira foi um dos mais mortíferos dos últimos anos na Alemanha. Em janeiro de 2011, morreram 10 pessoas num comboio urbano em Saxónia-Anhalt e em fevereiro de 2000, um acidente com um comboio noturno fez nove vítimas mortais. Ainda mais letal foi o descarrilamento em junho de 1998 de um comboio em Eschede, na Baixa Saxónia, onde morreram 101 pessoas, tornando-o no acidente mais mortífero de sempre com um comboio de alta velocidade.

7 fotos