O ministro do Trabalho admitiu que a aplicação das 35 horas semanais a todos os setores da administração pública a 1 de julho vai depender de trabalho que está feito pelo Governo e de negociações com os sindicatos.

“O Governo mantém o seu compromisso pleno de reverter, de colocar o horário de trabalho da administração pública nas 35 horas”, disse o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, em declarações aos jornalistas no final da ronda de encontros do primeiro-ministro com os parceiros sociais sobre a proposta de Orçamento do Estado para 2016.

Questionado se há a possibilidade de nem todos os funcionários públicos entrarem a 01 de julho nas 35 horas, Vieira da Silva disse não poder responder a essa pergunta, argumentando que “isso vai depender do trabalho que está a ser feito dentro dos setores e da negociação que será feito com os sindicatos”.