Timor-Leste acolhe este mês a segunda reunião dos ministros do Comércio e o primeiro Fórum Económico Global da CPLP, iniciativas que pretendem fomentar o desenvolvimento dos laços comerciais e empresariais no espaço lusófono.

Desenhar “um conceito de ação estratégica e concetual” para o desenvolvimento do comércio e investimento na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) é um dos pontos centrais da reunião de ministros, que decorre entre 21 e 24 de fevereiro e cujo programa foi hoje apresentado.

Este encontro, que fará ainda um balanço da implementação das medidas acordadas na primeira reunião, em Luanda, em maio de 2012, insere-se nos esforços da presidência de Timor-Leste da CPLP no sentido de plantar a bandeira dos negócios lusófonos no mundo.

Desenvolver o pilar económico das relações lusófonas e da CPLP com outras regiões, neste caso, a Ásia e Pacífico, é a prioridade da presidência timorense, que quer fomentar projetos de negócios, estimular o setor privado, promover parcerias e facilitar a transferência de ‘know-how’ e tecnologias.

Um dos objetivos é conseguir uma maior internacionalização das empresas da CPLP e, no caso de Timor-Leste, fazer também uma ponte para os mercados da Ásia e Pacífico.

É também neste contexto que decorre, entre 25 e 27 de fevereiro, o primeiro Fórum Económico Global da CPLP que, segundo os organizadores, tem já registados centenas de participantes de mais de 20 países.

O encontro das delegações ministeriais começa a 21 de fevereiro com uma reunião de pontos focais que analisarão o grau de implementação da declaração de Luanda e analisarão o projeto de Plano Estratégico de Cooperação Multilateral no setor do comércio (2016-2018).

Na segunda-feira, dia 22, está previsto um ciclo de conferências que analisará, entre outros aspetos, o impacto da crise financeira e da queda do preço do petróleo nos países da CPLP.

Incentivos ao setor privado, adesão à Organização Mundial do Comércio (OMC), a relação entre a CPLP e a Ásia e o desenvolvimento económico de Timor-Leste estão ainda na agenda.

O encontro analisará, no dia 23, o comércio interno e aspetos como certificação e laboratórios de teste e o desenvolvimento do agronegócio.

Finalmente, a 24 de fevereiro decorre a sessão solene, que deverá aprovar a Declaração de Díli.

A partir do dia 25 decorre o Fórum Económico Global, com o tema “CPLP e a Globalização”, que pretende fortalecer os laços entre empresas e empresários lusófonos e estudar oportunidades de investimento e de negócio em Timor-Leste.

O encontro é apoiado pela CPLP, pela Confederação Empresarial da CPLP (CE-CPLP) e pela União de Exportadores da CPLP (UE-CPLP) e permitirá promover Timor-Leste como “plataforma para o desenvolvimento”.

Na agenda do Fórum estão cinco áreas: indústria petrolífera, de gás e extrativa; agricultura e agroindústria; mar e pescas, indústria manufatureira; turismo e infraestruturas.

Em debate estarão questões como o papel da CPLP como bloco multirregional, o papel dos blocos económicos na economia global e os “desafios e as oportunidades da inserção da CPLP” noutros blocos económicos regionais.

O encontro de Díli aposta num formato de promoção de produtos, serviços e negócios, de contactos entre empresas (B2B) e de apresentação do ambiente de negócios e investimentos nos países participantes. Inclui uma Mostra de Produtos dos diversos países, a promoção das empresas nacionais e do comércio local e um espaço de painéis internacionais para debater a integração económica entre os países CPLP e da Ásia-Pacífico e a importância geoestratégica de Timor-Leste.

O encontro terá salas temáticas por país e haverá espaço para encontros empresariais, previamente agendados, que terão em conta o perfil de cada empresa e as suas necessidades.