Estado Islâmico

“Jihadi Junior” tem quatro anos e é o novo carrasco do Estado Islâmico

Um rapaz britânico, que já é conhecido como "Jihadi Junior", com 4 anos de idade já tinha aparecido num vídeo de propaganda do 'Daesh'. Agora surge a explodir um carro com quatro pessoas no interior.

Esta imagem foi retirada do primeiro vídeo onde aparece o rapaz que já é conhecido como "Jihadi Junior"

Uma criança com sotaque britânico, alegadamente com 4 anos de idade, já tinha sido protagonista num vídeo de propaganda do Estado Islâmico. Na altura, foi apelidado como “Jihadi Junior”. Mas agora a organização publicou um vídeo impressionante onde a criança detona explosivos colcoados num carro com quatro pessoas no interior, conta o Telegraph.

Antes da explosão, o rapaz, vestido com um camuflado militar e um lenço preto na cabeça característico dos militantes do ‘Daesh’, dirige-se para a câmara e diz: “Vamos matar os kuffars [infiéis] ali”. Depois, ao lado do carro em chamas, levanta o punho e afirma “Allahu akbar (Deus é grande)”.

Neste vídeo, que se presume que tenha sido filmado na cidade iraquiana de Raqqa, um homem com a cara tapada que acompanha “Jihadi Junior” ameaça o primeiro-ministro britânico David Cameron por contribuir para o combate contra os militantes jihadistas na Síria.

Sabe-se que esta criança é filha de uma mulher natural de Londres que se converteu ao Islão, tendo partido para a Síria há alguns anos.

Ainda no princípio do mês de janeiro, pouco tempo depois da publicação do primeiro vídeo onde aparece o rapaz, Henry Dane veio a público afirmar que é o avô de “Jihadi Junior”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Imigração

A política da miragem /premium

Helena Matos

Nos anos 70 trauteavam “A África é dos africanos." Agora se pudessem despovoavam essa mesma África para através da imigração alimentarem o activismo do ressentimento.

Imigração

Os “anti-fascistas” histéricos /premium

João Marques de Almeida

Sendo a imigração o maior problema da Europa, desafio os “anti-fascistas” de pacotilha a olhar para as políticas anti-imigração de Macron antes de chamarem fascistas a Salvini e ao chanceler austríaco

Imigração

A política da miragem /premium

Helena Matos

Nos anos 70 trauteavam “A África é dos africanos." Agora se pudessem despovoavam essa mesma África para através da imigração alimentarem o activismo do ressentimento.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)