Na prisão de Topo Chico, em Monterrey no México, um motim que originou um incêndio provocou a morte de mais de 50 pessoas, entre reclusos e guardas prisionais, informa o jornal mexicano Milenio. 

O governador do Estado de Nuevo Leon confirmou que morreram 52 pessoas e 12 ficaram feridas, cita a Associated Press. Jaime Rodriguez revelou também que nos confrontos esteve envolvida uma facção liderada por um membro do conhecido e violento cartel mexicano do narcotráfico “Los Zetas”. 

O mesmo jornal informa que os distúrbios começaram na madrugada desta quinta-feira. Os reclusos terão ocupado um pavilhão do estabelecimento provocando um incêndio no local para depois aproveitar o momento para fugir.

Apesar de terem sido realizadas várias detenções, alguns dos presos conseguiram escapar da prisão. Conta quem estava presente nas imediações que a mobilização policial era grande e que se escutaram várias detonações e explosões.

O Gabinete de Comunicação do Governo mexicano informou, através do Twitter, que a situação está controlada desde a 01h30 da manhã hora local (06h30 em Portugal Continental).

Ao longo das horas centenas de familiares reuniram-se no local para recolher informações:

Relatives of inmates gather outside the Topo Chico prison in the northern city of Monterrey in Mexico where according to local media at least 30 people died in a prison riot on February 11, 2016. Riot police and ambulances were deployed at the Topo Chico prison as smoke billowed from the facility. Broadcaster Televisa reported that 30 died while Milenio television spoke of 50 victims, with inmates and prison guards among them. AFP PHOTO / JULIO CESAR AGUILAR / AFP / Julio Cesar Aguilar (Photo credit should read JULIO CESAR AGUILAR/AFP/Getty Images)

 JULIO CESAR AGUILAR/AFP/Getty Images

Esta situação surge na véspera da visita do Papa Francisco ao país.