O número de mortos devido ao sismo que abalou o sul de Taiwan no passado sábado aumentou para 55, enquanto o de feridos subiu para 549 e 83 pessoas estão ainda desaparecidas, segundo o Serviço Nacional de Emergências.

Entre os falecidos encontra-se um bebé de dez dias, dois de seis meses e outras 13 crianças. Já entre os que permanecem sob os escombros estão 64 adultos e 19 crianças, precisou o organismo.

As operações de resgate na cidade de Tainan, a mais afetada pelo sismo de magnitude 6,4, entraram hoje no sexto dia.

No edifício Dragão Dourado (Weiguan Jinlong), o mais afetado pelo sismo, morreram 53 pessoas.

Na quarta-feira foram detidos o presidente da empresa construtora do edifício, Lin Ming-hui, e os seus sócios Chang Kui-an, arquiteto, e Cheng Chin-kui, executivo da empresa, acusados de homicídio por negligência profissional.

Os investigadores da Procuradoria de Tainan encontraram indícios de falhas na construção, que permitem acusar Lin e os seus sócios, mas também suspeitam de que os proprietários de alguns pisos do edifício tenham retirado pilares para ampliar o espaço das casas.