O Serviço Nacional de Emergências de Taiwan elevou esta sexta-feira para 89 o número oficial de vítimas mortais do sismo de magnitude 6,4 que abalou o sul da ilha no sábado, reduzindo também para 35 o número de desaparecidos.

Na cidade de Tainan, a mais afetada pelo sismo, as equipas de resgate continuam a trabalhar, mas desde quarta-feira que não retiram sobreviventes dos escombros do edifício Weiguan Jinlong, que ruiu.

Nas últimas horas, quase 30 cadáveres foram retirados dos escombros.

Avança também a investigação sobre as possíveis falhas de construção do edifício, onde se encontraram 87 dos 89 corpos recuperados até ao momento.

A Procuradoria de Tainan deteve, na quarta-feira, três executivos da construtora responsável pelo Weiguan Jinlong, acusados de homicídio por negligência profissional, e congelou os seus bens e ativos.

No passado domingo, foram encontradas latas vazias e espuma de poliestireno em pilares que deveriam ter sido enchidos com betão.

Posteriormente, os investigadores descobriram também que tinham sido eliminados, possivelmente depois da construção, pilares nos pisos mais baixos do edifício, para aumentar a área livre.