Carlos Abreu Amorim, deputado do PSD, anunciou esta sexta-feira que o PSD vai voltar a apresentar o pedido de auditoria externa ao Banif, apesar de este pedido já ter sido chumbado na Comissão de Inquérito que está a analisar a medida de resolução deste banco. O PS garante que deputados têm mais competências do que qualquer entidade independente e que a direita não está interessada no apuramento dos factos.

“Não é possível fazer acusações, como fez o primeiro-ministro, a tudo e todos sem haver apuramento dos factos. O PS não tem condições para recusar novamente uma auditoria externa independente”, afirmou o deputado Carlos Abreu Amorim no final do debate quinzenal na Assembleia da República. Durante o debate, António Costa disse que o seu Governo não tem “nada a esconder”. Defendeu que o seu Executivo teve de resolver em 15 dias um problema que o Governo PSD e CDS “arrastou durante três anos”. Por “outros motivos que virão a lume”, avisou ainda o primeiro-ministro, sem desenvolver esta ideia.

O deputado do PSD alegou assim que as coisas mudaram de ontem para hoje – na reunião de ontem da Comissão de Inquérito esta iniciativa já tinha sido chumbada por toda a esquerda – e fala em atitude “contraditória” por parte dos socialistas. João Galamba, deputado do PS, disse que é o respeito pela Comissão de Inquérito e pelos trabalhos dos deputados que faz com que o PS vá voltar a chumbar este pedido do PSD. “Recusamos uma auditoria que se sobreponha à comissão. Esta comissão tem poderes para-judiciais que uma entidade privada, como consultoras como a Deloitte ou KPMG, não têm”, garantiu o deputado, lembrando o trabalho executado por outras comissões de inquérito. O deputado afirmou ainda que quem parece “ter medo do apuramento dos factos” é o PSD e o CDS.