A denúncia acompanhada de uma fotografia caiu no Twitter e depressa foi difundida por outras redes sociais: um Starbucks em Riade, a capital da Arábia Saudita, proibia a entrada a mulheres. Mas a cadeia de cafetarias já veio explicar o porquê da placa discriminatória: a lei local exige uma parede de separação por género nos estabelecimentos comerciais e esta ainda não tinha sido construída.

O caso foi denunciado na rede social Twitter, através de uma mulher que se identifica como Manar M. “Por favor, proibida a entrada a mulheres. Mande alguém fazer o pedido. Obrigado”, lê-se na porta de vidro do Starbucks.

https://twitter.com/manarn8/status/694184934441930752

O tweet foi imediatamente reproduzido e acabou por chegar a rede social Facebook.

À CNN, a cadeia de cafetarias Starbucks respondeu que em todos os locais onde se estabelece “adere aos costumes locais”. Na Arábia Saudita promovem-se entradas diferentes para famílias e para homens solteiros. “Nas nossas lojas providenciamos comodidades, serviços e menus iguais e lugares para homens, mulheres e famílias”.

A multinacional referia, na altura, estar “a trabalhar o mais rapidamente possível” para reformar a loja de acordo com os “costumes locais”, disse na altura à CNN. Mais tarde, acabaria por atualizar a informação:

“O Starbucks dás as boas vindas a todos os clientes, incluindo mulheres e famílias, para desfrutar da experiência do Starbucks. Trabalhámos com as autoridades locais para aprovarem a renovação de uma das nossas lojas em Jarir, inicialmente construída sem a parede de separação de género – o que significa que só podiam entrar homens, de acordo com a lei local”.

A multinacional esclarece que esta era a única loja nestas condições na Arábia Saudita. Que, durante as obras, a loja só podia receber homens solteiros e, por isso, ter sido colocado o aviso que impedia a entrada de mulheres. “Informamos que agora a loja está disponível para homens solteiros de um lado, assim como mulheres e família do outro lado”.

O Starbucks tem agora 78 lojas na Arábia Saudita e todas elas podem atender homens solteiros, famílias e mulheres. Excepto uma, cuja entrada é exclusiva a mulheres e famílias.