O Presidente da Síria, Bashar al-Assad, prometeu recuperar todo o país e continuar a “lutar contra o terrorismo”, ao mesmo tempo que mantém as negociações de paz.

Numa entrevista à AFP, Assad afirmou que o principal objetivo da ofensiva em Alepo, apoiada pela Rússia e que levou dezenas de milhares de pessoas a fugir, foi interromper a rota de abastecimento dos rebeldes na Turquia.

O Presidente sírio disse que o seu Governo deseja recuperar o controlo de todo o país. Atualmente, extensas áreas do território são controladas por forças rebeldes ou pelo grupo extremista Estado Islâmico.

“Não faz sentido que abdiquemos de nenhuma parte”, afirmou numa entrevista conduzida na quinta-feira, antes de ter sido anunciada a “cessação de hostilidades” na Síria.

Assad defendeu que será possível “pôr fim a este problema em menos de um ano”, se as rotas de abastecimento na Turquia, Jordânia e Iraque forem cortadas.

Caso isso não aconteça, “a solução vai demorar muito tempo e custar um preço elevado”.

Na sexta-feira foi anunciado um plano ambicioso para travar os combates na Síria dentro de uma semana, mas dúvidas sobre a sua viabilidade emergiram, especialmente devido ao facto de o acordo não envolver o Estado Islâmico ou o braço local da Al-Qaida.