Ambiente

Ambiente. As imagens da poluição no rio Tejo

286

Deputado do PSD acusa a fábrica de pasta de papel de ser responsável pela poluição no rio Tejo. Fala também em cumplicidade da Câmara de Vila Velha de Ródão. Com vídeo.

A Celtejo "tem uma postura vergonhosa" e Câmara de Vila Velha de Ródão tenta "fechar os olhos", acusa Duarte Marques

PAULO CUNHA/LUSA

O deputado social-democrata Duarte Marques acusa a Celtejo, uma fábrica de pasta papel em Vila Velha de Ródão, Castelo Branco, de ser responsável por uma parte “significativa do problema de poluição do rio Tejo”. O parlamentar também não poupa críticas à câmara socialista de Vila Velha de Ródão, acusando-a de tentar “fechar os olhos” e de “assobiar para o lado”.

Numa denúncia publicada no Facebook, o deputado do PSD diz que não lhe “faltam provas” nem “restam dúvidas”: a “empresa tem uma postura vergonhosa, que nada tem a ver com outros concorrentes que, sendo do mesmo sector, não revelam este tipo de comportamento para com a natureza”.

Mais, continua o social-democrata: “A Celtejo tem uma ETAR sem capacidade para tratar os resíduos produzidos, há graves suspeitas de manipulação de análises e, segundo denúncias anónimas, alegadamente fazem descargas com poluição acima dos limites exigidos”.

A denúncia de Duarte Marques vem acompanhada por um vídeo gravado por um grupo de pescadores em pleno rio Tejo, em Vila Velha de Ródão, junto a um foco de poluição aparentemente proveniente das instalações da Celtejo.

A 4 de fevereiro, Luís Pereira, presidente da Câmara de Vila Velha de Ródão, foi ao Parlamento e denunciou aquilo que acreditava ser “uma caça às bruxas” e uma perseguição à autarquia. Mesmo reconhecendo a existência de alguns problemas em Vila Velha de Ródão, sobretudo com uma Estação de Tratamento de Águas Residuais na zona industrial, para o autarca o problema de poluição no rio Tejo está em Espanha e não em Vila Velha de Ródão.

“Sabemos que 80% da água do Tejo a 100 quilómetros da sua nascente é desviada para o sul de Espanha e sabemos que a 100 quilómetros da nossa fronteira [Portugal], temos uma das barragens mais poluídas de Espanha (Castrejón) onde surgem, à superfície da água, bolhas de metano” e “isso é algo que não vemos no Tejo, em Vila Velha de Ródão”, afirmou na altura, em declarações à agência Lusa. Luís Pereira defendeu ainda a Celtejo, a empresa no centro de todas as acusações, recordando que em 2015 a fábrica foi a primeira a certificar-se na ISO 14001.

Agora Duarte Marques vem agora contrariar essa versão. “Apesar das declarações recentes dos autarcas de Castelo Branco e de Vila Velha e Ródão, prestadas na Comissão de Ambiente da Assembleia da República, não me convenci que as águas do rio Tejo já vinham pretas de Espanha. No fim de semana passado fui com uns amigos a Vila Velha ver com os meus próprios olhos, antes e depois da fábrica de pasta de papel da Celtejo. As dúvidas, se alguma vez as houve, dissiparam-se, a água do rio é muito mais clara acima de Vila Velha”, escreve o social-democrata.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Astrofísica

Buracos negros e a ciência de dados

Manuel Loureiro

Os métodos e os algoritmos da ciência de dados aplicados neste empreendimento fantástico são os mesmos que usamos quando pretendemos segmentar mercados, prever saldos bancários ou planear a produção.

Política

A protecção da família em Portugal

Luiz Cabral de Moncada

A família, enquanto célula principal da sociedade e berço da moral, como bem se sabe na Calábria, está mais garantida do que nunca. Nunca será esquecida pelos partidos quando no poder político.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)