O treinador do Zenit, André Villas-Boas, afirmou hoje que quer obrigar o Benfica a decidir a passagem aos quartos de final da Liga dos Campeões de futebol na Rússia, reconhecendo as limitações físicas da sua equipa.

Em conferência de imprensa de antevisão ao encontro europeu, André Villas-Boas salientou a maior rotação dos ‘encarnados’, até porque os russos vêm de uma paragem de um mês e meio.

“O nosso objetivo é sair daqui com um resultado positivo e levar a eliminatória para a Rússia. É verdade que temos menos jogos nas pernas. Ambicionamos levar a decisão dos quartos de final para São Petersburgo. As consequências da paragem não são benéficas. Uma equipa russa que queira jogar na Europa tem esta desvantagem. Mas, em contraponto, tem a vantagem de, com a evolução da prova, ter menos desgaste do que os adversários”, afirmou.

Uma ideia partilhada pelo internacional português Danny, que garantiu que a equipa está preparada para o embate com as ‘águias’.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Fizemos uma boa pré-temporada. Fizemos vários jogos e treinámos bem. O ritmo do jogo vai ser bastante intenso. Acredito que vamos estar bem. O Benfica é uma equipa bastante forte. O ataque é que tem feito bastantes estragos no campeonato e na Liga dos Campeões. Sabemos quais são os pontos fortes deles. Estamos preparados para defender bem e atacar melhor ainda”, disse.

Segundo Villas-Boas, a condicionante física não é a única adversidade que o Zenit irá encontrar esta terça-feira. O treinador não tem dúvidas que os campeões portugueses vão entrar em campo com o orgulho ferido pela derrota (2-1) com o FC Porto, na última jornada da I Liga e considera mesmo o setor defensivo um dos pontos fortes da equipa.

“O Benfica é uma equipa que está bastante motivada e que durante 11 jogos se transformou completamente. Acredito que vamos encontrar um Benfica ligeiramente revoltado com o percalço que teve com o FC Porto. O Benfica tem sido uma das melhores defesas da Europa. Defende bem como grupo. Arrisca no fora de jogo mas tem funcionado. Penso que a defesa não seja um ponto fraco da equipa”, retorquiu.

Sobre o alegado interesse do FC Porto na sua contratação, André Villas-Boas, que não o desmentiu, mostrou-se lisonjeado, mas considera que não era a altura apropriada para deixar o Zenit.

“Estou até junho com contrato com o Zenit. Nessa altura vou estudar as oportunidades que venham a surgir. Foi um clube que me recebeu muito bem e não tinha qualquer interesse em terminar relações tão precipitado. Estamos ainda com ilusões de alcançar o primeiro lugar. Levamos esta frustração pela posição que temos no campeonato [sexto classificado, com 30 pontos]”, rematou.

O Zenit defronta na terça-feira, às 19h45, o Benfica em jogo da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões, no Estádio da Luz, em Lisboa, que será arbitrado pelo italiano Gianluca Rocchi.