Seis modelos iranianas foram detidas por, alegadamente, atentar contra a moral do Irão através de publicações nas redes sociais.

O El Mundo cita o diário iraniano IranWire, censurado no país, que refere que as detidas são Melikaa Zamani, Niloofar Behboudi, Donya Moghadam, Dana Nik, Shabnam Molavi e Elnaz Golrokh. No caso concreto de Golrokh, o seu marido e também modelo, Hamid Fadaei, foi igualmente levado pelas autoridades. Segundo informa o mesmo órgão, ambos terão sido libertados depois de pagarem uma fiança. Dias antes, a manequim tinha publicado uma mensagem nas redes sociais dando a entender que iria abandonar o país: “Lamentavelmente, por agora não vou estar ativa no Irão, mas vou continuar o meu trabalho fora do país”.

Terão sido publicações deste género que chamaram a atenção das autoridades:

https://www.instagram.com/p/BApG5L5sT_G/

No caso das restantes mulheres, os respetivos perfis do Instagram, que é a única rede social aberta no Irão, foram bloqueados temporariamente restando apenas as páginas de fãs que permanecem abertas. E nelas foram confirmadas as detenções.

View this post on Instagram

????????

A post shared by Melika zamani (@melika_zamani_) on

O El Mundo explica também que este tipo de plataformas tem sido uma dor de cabeças para o regime iraniano. Um desses sinais foi a criação de uma espécie de “polícia da moral” em Teerão, formada por mulheres, que têm como missão fiscalizar a indumentária e comportamento das restantes cidadãs.