O Presidente da República voltou a apresentar os portugueses como um povo que não baixa os braços e é capaz de superar as dificuldades nas “horas de prova”, sublinhando que a sua ambição “supera qualquer desânimo”.

A pouco mais de três semanas de terminar o mandato como chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva recuou esta tarde dez anos, recuperando um trecho da sua intervenção na tomada de posse como Presidente da República, a 09 de março de 2006, onde manifestou “a profunda convicção” de que a determinação dos portugueses é “maior do que qualquer melancolia”, que a sua esperança “é mais forte que qualquer resignação” e a sua ambição “supera qualquer desânimo”.

“Hoje ao terminar os meus mandatos, ciente das dificuldades que atravessamos (…) retomo cada uma destas palavras e reafirmo a mesma convicção”, disse o Presidente da República, numa intervenção no final de uma visita à Sociedade Histórica da Independência de Portugal.