Há mais de 10 milhões de pessoas sem água na capital da Índia, Deli, avança a BBC. A situação ainda vai demorar cerca de três ou quatro dias a resolver, segundo Keshav Chandra, responsável pelas águas da cidade.

A quebra no fornecimento aconteceu por causa dos protestos que emergiram na cidade nos últimos três dias e que foram responsáveis pela morte de 16 pessoas e centenas de feridos. Contudo, o Exército indiano já recuperou o controlo sobre o canal Munak, responsável pelo abastecimento de três quintos das casas da cidade.

Os protestos foram organizados pela comunidade Jats, de casta superior e politicamente influente, baseados em Haryana e noutros sete estados no norte da Índia. Exigiam mais postos de trabalho no canal Munak, Sete dos 10 ministros principais do governo indiano já foram Jats.

O ministro de Estado indiano, Ram Bilas Sharma, afirmou que a situação estava a voltar ao normal e o Governo prepara-se para criar uma comissão de alto nível, que analise as reivindicações dos Jats.