Em 1937, Allen Gilbert criou uma escola capaz de “fazer o momento de ir para cama uma coisa de charme e prazer em vez de um afazer rotineiro”. O curso custava trinta dólares na época às 48 mulheres que se inscreveram na “Escola Para Se Despir”, onde duas estrelas do burlesco ensinavam – como num tutorial – as mulheres estudantes a despirem-se.

Todas as fotografias publicadas pela Time eram explicadas pela professora June St. Clair, mas nem isso terá chegado para encantar os homens e as mulheres os anos 30: conta a Mashable que alguns homens ficaram desiludidos e até atordoados com a ideia de verem as mulheres a despirem-se. As imagens foram motivo de burburinho: a forma como se encarava a sexualidade estava a mudar, num mundo ainda agitado pela Grande Depressão. Em cinco anos – entre 1930 e 1935 – havia três vezes mais mulheres solteiras nos Estados Unidos e a taxa de natalidade desceu a pique. E mais de 1500 milhões de homens abandonaram as mulheres: não se divorciavam porque era demasiado caro.