O ministro do Petróleo iraniano, Bijan Namadar Zanganeh, rejeitou a ideia de um congelamento do nível de produção petrolífera do Irão, considerando-a “uma brincadeira”, noticiaram hoje os ‘media’ iranianos.

A Arábia Saudita e a Rússia, dois principais produtores de petróleo, propuseram há uma semana, no final de uma reunião em Doha com o Qatar e a Venezuela, que todos os países produtores congelem a produção no nível de janeiro para impulsionar os preços, atualmente muito baixos.

“Alguns países vizinhos, que nos últimos anos fixaram o seu nível de produção em 10 milhões de barris por dia e exportam essa quantidade, tornaram-se arrogantes e dizem que todos devem congelar o seu nível de produção, ou seja, eles congelam o nível em 10 milhões de barris e nós o nível de um milhão. É uma brincadeira”, declarou Zanganeh.

Na quarta-feira passada, após uma reunião com os seus homólogos iraquiano, venezuelano e qatari, Zanganeh afirmou que o Irão apoiava “qualquer medida destinada a estabilizar o mercado e aumentar os preços”.

“Apoiamos a decisão que foi tomada (na terça-feira anterior) para que membros da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e países não-membros mantenham o seu nível de produção para estabilizar o mercado e aumentar os preços”, afirmou na ocasião Zanganeh, sem no entanto precisar se o Irão continuaria a aumentar a sua produção.

O Irão tem criticado a Arábia Saudita por ter aumentado a sua produção de petróleo após o reforço das sanções ocidentais contra Teerão.

Depois do levantamento das sanções, em janeiro, o Irão anunciou de imediato um aumento da produção e quer agora retomar a sua quota de mercado.