Dark Mode 152kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Portugal entre os mais avançados da UE no domínio digital

Portugal conseguiu uma pontuação acima da média da UE no Índice de Digitalidade da Economia e da Sociedade (IDES), ficando entre os que mais rapidamente evoluíram no domínio digital.

i

kaboompics/Pixabay

kaboompics/Pixabay

Portugal é o segundo país da União Europeia (UE) a registar maiores progressos no domínio digital no ano passado. O país obteve uma pontuação global de 0,53 na edição de 2016 do Índice de Digitalidade da Economia e da Sociedade (IDES) — mais 0,04 do que no IDES 2015 –, ocupando a 14ª posição entre os 28 Estados-Membros (os dados correspondem à evolução registada em 2015).

O que é o IDES?

Mostrar Esconder

O Índice de Digitalidade da Economia e da Sociedade é um índice composto elaborado anualmente pela Comissão Europeia. Avalia a “evolução dos países da UE em direção a uma economia e uma sociedade digitais”.

O índice tem em conta — e relaciona — indicadores como a conectividade, o capital humano, a utilização da internet, a integração das tecnologias e serviços públicos digitais.

A pontuação calculada vai de zero a um. Uma maior pontuação significa um melhor desempenho de determinado país.

Representação da Comissão Europeia em Portugal

A pontuação conseguida por Portugal é ligeiramente superior aos 0,52 de média da UE, facto que coloca o país no grupo dos mais avançados na edição deste ano do índice. Entre eles está também a Áustria, a Alemanha, a Estónia, a Holanda e Malta — os países que estão a evoluir mais rapidamente. Juntos, a média do índice é de 0,58. Dinamarca (0,68), Holanda (0,67), Suécia (0,67) e Finlândia (0,67) continuam a liderar o ranking, sendo que a Suécia foi o único Estado-Membro que não melhorou a pontuação em relação ao ano passado (caiu uma centésima). A Roménia é o país menos evoluído, voltando a ocupar o 28º lugar com uma pontuação de 0,35.

De acordo com a Comissão Europeia (CE), “Portugal tem redes de banda larga que asseguram uma boa cobertura, serviços públicos online avançados e um desempenho acima da média na digitalização das empresas”. Porém, “o maior desafio para o país é melhorar as competências digitais dos seus cidadãos e levá-los a aderirem às atividades online, para que possam participar plenamente na economia e na sociedade digitais”. A CE indica ainda que “cerca de metade da população [portuguesa] não tem competências digitais básicas” e que “28% nunca utilizou a internet”.

Em 2015, a UE registou no IDES uma média de 0,5. A média deste ano (0,52) indica assim que “a UE está a avançar, mas lentamente”.

Os resultados do IDES para o conjunto dos países da UE serão divulgados oficialmente na manhã desta quinta-feira, em Bruxelas, no fórum Digital4EU. A apresentação será feita por Günther Oettinger, Comissário Europeu para a Economia e Sociedade Digital.

Consulte aqui os perfis por país. Atualizado a 25 de fevereiro, às 15h30.

Editado por Pedro Esteves.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.