As esperanças de que Espanha venha a ter um governo em breve, evitando o cenário de novas eleições, sofreram mais um revés esta sexta-feira. Depois de o Podemos já ter anunciado que votará “não” a um governo do PSOE, após ver celebrado um acordo entre os socialistas e o Ciudadanos, também o PP confirmou que não está disposto a viabilizar um executivo liderado por Pedro Sánchez:

O Partido Popular, com 123 deputados [eleitos], vai votar não à candidatura do senhor Sánchez”, anunciou Rajoy

A declaração de que os “populares” não estão dispostos a viabilizar um governo socialista frustra as esperanças de Albert Rivera, líder do Ciudadanos, que, depois de ter chegado a acordo com o PSOE para apoiar (ou até integrar) um governo de Sánchez, tentava agora convencer Mariano Rajoy a também apoiar um executivo liderado pelos socialistas. O centrista chegou mesmo a pedir “uma reunião” a Rajoy, esta quinta-feira, para lhe explicar o acordo e o tentar convencer a entrar num acordo a três:

Na sua declaração, Rajoy lembrou a Sánchez e Rivera que o PP “é o primeiro partido de Espanha”, referindo-se à votação obtida pelo partido nas últimas eleições, onde foi o mais votado mas se viu impedido de formar governo, já que não obteve os apoios necessários, em particular junto do PSOE, para o poder fazer. E foi ainda mais longe, ao descrever o governo que Sánchez e Rivera querem ter como “uma farsa”:

O PP não será ator secundário de uma farsa, de uma celebração da confusão [política].”

Texto editado por: Rita Ferreira