O indicador de confiança dos consumidores aumentou em fevereiro, prolongando a tendência ascendente desde início de 2013, e o clima económico subiu ligeiramente pela primeira vez desde julho de 2015, segundo dados hoje divulgados pelo INE.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, o indicador de confiança dos consumidores (calculado através de inquéritos a particulares) melhorou em fevereiro, alcançando os -11,3 pontos (-12,6 pontos observados em janeiro) e “prolongando a tendência ascendente observada desde o início de 2013”, apesar das quedas observadas em novembro e dezembro do ano passado.

O indicador de clima económico (calculado através de inquéritos a empresas de vários setores de atividade), por sua vez, subiu em fevereiro para os 0,7 pontos (dos 0,6 pontos observados em janeiro).

“No mês de referência, o indicador de confiança aumentou na construção e obras públicas, no comércio e nos serviços, tendo estabilizado na indústria transformadora”, sinaliza o INE.

Os indicadores de confiança do INE são calculados através de médias móveis de três meses dos saldos de respostas extremas a inquéritos. Um número negativo significa que houve mais respostas pessimistas do que otimistas.

A Comissão Europeia divulgou também hoje que o indicador de sentimento económico caiu 1,3 pontos na zona euro e 1,5 na União Europeia (UE) em fevereiro.

Segundo dados da Direção-Geral dos Assuntos Económicos e Financeiros, o indicador do sentimento económico recuou em janeiro para os 103,8 pontos na zona euro e para os 105,2 na UE.

O sentimento económico caiu nas cinco maiores economias da zona euro, com o principal recuo a pertencer à Holanda (-2,0 pontos), seguindo-se a Itália (-1,5), a Alemanha (-0,6), a França e a Espanha (-0,5 cada).

Em Portugal, diminuiu de 105,2 pontos em janeiro para 103,6 em fevereiro.

A deterioração na zona euro deve-se a uma menor confiança dos consumidores e também em todos os setores de negócio, à exceção do da construção.

O indicador de sentimento económico calculado pelo gabinete de estatísticas da Comissão Europeia mede a confiança e as expectativas dos consumidores e empresas quanto à economia.

O INE e a Comissão Europeia usam metodologias diferentes para calcular os seus indicadores.