Cerca de três centenas de pessoas participaram este sábado, em Lisboa, na Marcha Europeia pelos Direitos dos Refugiados, iniciativa que se repetiu noutros 27 países e 157 cidades da União Europeia, que visou alertar para esta situação.

Os participantes, que se concentraram no Largo Jean Monnet, empunhavam cartazes onde se podia ler “UE (União Europeia) — Vergonha”, ou “sangue nas mãos da Europa”, mostravam tarjas com “bem-vindos refugiados” e traziam ao peito fotos de vítimas, sobretudo de crianças, que morreram afogadas ao tentarem chegar à Europa.

Durante a marcha, que seguiu depois pela avenida da Liberdade, rua Augusta e terminou no Terreiro do Paço, os manifestantes entoaram palavras de ordem em inglês como: “abram as fronteiras, abram os corações, abram os olhos” ou “ninguém é ilegal” e “digam alto e claro: refugiados são bem-vindos aqui”.