Ainda podem faltar alguns dias até que se conheçam os resultados finais das eleições legislativas na Irlanda, mas o atual primeiro-ministro já admitiu que não haverá possibilidade de a coligação que estava no poder ser reeditada. O Fine Gael — partido que Enda Kenny lidera — e o Labour não vão conseguir deputados suficientes para uma maioria parlamentar.

Em declarações citadas pelo Irish Times, Enda Kenny afirmou que tem “o dever e a responsabilidade, como chefe do Executivo, de avaliar a melhor maneira deformar um governo para o futuro, porque o país precisa de um governo e tem de ter um governo”.

Enda Kenny não quis adiantar se considera possível uma aliança entre os dois partidos mais votados — e rivais desde a guerra civil irlandesa — o “seu” Fine Gael e o Fianna Fáil — alegando que vai esperar até que todos os assentos parlamentares estejam distribuídos.

O primeiro-ministro da Irlanda parecia estar resignado com os resultados eleitorais — recorde-se que as projeções e os resultados já apurados apontam para uma queda dos dois partidos da coligação de cerca de 20 pontos percentuais, apesar de o Fine Gael dever ser a força mais votada — e deixou uma frase em jeito de desabafo:

Não posso lutar contra a vontade do povo. A democracia, quando chega, é impiedosa”

Com estes resultados a própria liderança de Enda Kenny já começa a ser discutida na Irlanda, mas o Ministro da Agricultura já veio afastar esse cenário, embora tenha admitido que o resultado “é pobre” para o partido que lidera o governo da Irlanda.