A queda de neve obrigou a 26 salvamentos de pessoas que ficaram presas e a precisar da ajuda da Proteção Civil, que desde as 06h00 de sexta-feira registou 340 ocorrências relacionadas com o mau tempo.

Miguel Cruz, adjunto de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), disse à agência Lusa que a maior parte das ocorrências registadas foram limpezas de vias (136), seguindo-se quedas de árvores ou ramos (72) e inundações (54).

A maior parte dos 26 salvamentos terrestres foram para retirar pessoas retidas na neve através de meios de socorro e registaram-se sobretudo nos distritos de Viseu e Aveiro.

O distrito de Viseu foi, aliás, o distrito com maior número de incidências (53), seguindo-se Coimbra (46) e Porto (39).

A queda de neve foi mais sentida nas serras do Marão e Alvão, no Norte, mas também nas serras de Montemuro e do Caramulo (distrito de Viseu), da Lousã e Açor (distrito de Coimbra) e na Serra da Estrela (sobretudo no distrito da Guarda).

Embora de uma forma menos significativa, a neve também caiu na serra de Monchique (distrito de Faro) e pontualmente em locais como Fátima, Ferreira do Zêzere, Vila do Rei e Castanheira de Pera.

No Alto da Fóia, o ponto mais alto do Algarve, na serra de Monchique, houve registo de queda de neve a partir das 10h50, embora com pouca intensidade, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

O presidente da Câmara de Monchique, Rui André, contou que de manhã o Alto da Fóia — com 902 metros de altitude – estava “coberto de branco”, embora durante a noite tenha caído sobretudo granizo, intercalado com alguns flocos de neve.