“Se não se diz ‘sim’, é porque a resposta é ‘não'”. A lição sobre consentimento sexual é transmitida em três vídeos curtos com cinco protagonistas: um pénis, uma vagina, um ânus, uma mão e uma mama. A história passa-se num ambiente divertido e de festa e a ideia é precisamente mostrar que a descontração e a alegria não são um ‘cartão verde’ para uma investida sexual.

A ideia é do Project Consent, uma organização americana sem fins lucrativos de combate ao assédio e violência sexual. Uma das missões do projeto passa pela educação e é aqui que entram estas animações.

A violência sexual é um tema quente nos Estados Unidos, sobretudo depois das várias notícias de abusos sexuais e casos de violação nos campus universitários. Ainda este domingo, Lady Gaga brilhou com a atuação do tema “Til It Happens To You”, uma canção escrita pela cantora para o documentário “The Hunting Ground” sobre o assunto.

A própria Lady Gaga sofreu abusos sexuais e revelou-o em 2014, sendo que voltou a tocar no tema recentemente. Em noite de Óscares, a introdução ao show de Gaga coube a Joe Biden, vice-presidente dos EUA, que lembrou que “demasiadas mulheres e demasiados homens continuam a ser vítimas de abuso nas universidades”. Biden destacou ainda: “Nós podemos e devemos mudar esta cultura”.

O Project Consent nasceu no estado do Kansas mas está representado em vários sítios. Além de Nova Iorque e Texas, há membros do projeto a trabalhar no Canadá, na Holanda e no Chile. Além dos vídeos, a campanha do projeto continua no Twitter, com ilustrações de momentos-chave em que o consentimento é primordial.

“Estou cansada”, diz ela. “Entendido”, responde ele.

“Não tenho a certeza”, diz ela. “Respeito isso”, responde ele.

Para os mentores do projeto, entender o consentimento “não é difícil. É simples”.