Dark Mode 152kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Empresa britânica quer dar dias de folga às mulheres "naquela altura do mês"

Uma empresa britânica quer que as mulheres possam tirar dias de folga quando estão menstruadas. O objetivo é permitir conciliar o trabalho com o ciclo natural da mulher e aumentar a produtividade.

i

LOIC VENANCE/AFP/Getty Images

LOIC VENANCE/AFP/Getty Images

Uma empresa britânica quer ser a primeira a instituir no Reino Unido o direito às mulheres poderem tirar dias de folgas quando estão menstruadas. A empresa Coexist, que dinamiza um espaço de coworking e desenvolve projetos em prol da comunidade tem um quadro de pessoal maioritariamente do sexo feminino e pretende criar um ambiente de trabalho mais feliz e saudável para as colaboradoras, refere o Bristol Post.

Apesar de ser algo intrínseco à biologia feminina, a questão do período continua a ser um tabu os e os eufemismos são uma constante, mas a empresa britânica quer que isso deixe de acontecer. A companhia lançou na sua página do Facebook a iniciativa Política Pioneira do Período (Pioneering Period Policy: Valuing natural cycles in the workplace) um seminário onde a questão será discutida publicamente, e na sequência da discussão pretende instaurar a política na empresa.

3 weeks to go before Coexist launch the Pioneering Period policy event. We need your support!! Please support Coexist if...

Posted by Coexist on Monday, February 22, 2016

A empresa sediada no edifício Hamilton House, em Stokes Croft, Bristol (Reino Unido) pretende ser “mais amiga do ciclo natural das suas funcionárias” (dos 24 trabalhadores da empresa, apenas 7 são homens).

“Como gestora de recursos humanos tenho visto que algumas mulheres sofrem com os respetivos períodos e vejo-as muitas vezes contorcidas com dores”, disse Bex Baxter, uma das diretoras da empresa ao jornal de Bristol.

“As mulheres sentem-se culpadas e envergonhadas por terem que tirar dias de folga e muitas vezes continuam sentadas às suas secretárias a sofrer em silêncio”, acrescentou.

Bex Baxter acredita que a nova política — que não será obrigatória, uma vez que as mulheres podem escolher não tirar folgas — irá aumentar a produtividade. E espera que muitas outras empresas venham a seguir o exemplo dado pela Nike. A gigante do vestuário e calçado desportivos introduziu políticas similares em 2007 e impõe aos seus parceiros de negócio a assinatura de um memorando de entendimento para assegurar a manutenção dos padrões da empresa, escreve o Independent.

“Muitas empresas são predominantemente masculinas e incentivam os horários de trabalho longos, mas é um equívoco pensar que tirar dias de folga torna uma empresa improdutiva”, refere Bex Baxter.

Bex Baxter considera “injusto” que as mulheres tenham que trabalhar quando não se sentem bem. A empresa prevê que a discussão pública seja concorrida e espera relançar o debate sobre a igualdade de género no seio das empresas.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.