Ténis de Mesa

Portugal bate Coreia do Norte e está nos ‘quartos’ dos Mundiais de ténis de mesa

119

A seleção portuguesa de ténis de mesa derrotou a Coreia do Norte por 3-0 e a vitória garantiu oa presença nos quartos de final dos Mundiais, que decorrem em Kuala Lumpur, na Malásia.

TIAGO PETINGA/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A seleção portuguesa de ténis de mesa garantiu esta quinta-feira a presença nos quartos de final dos Mundiais, que decorrem na Malásia, ao derrotar a Coreia do Norte por 3-0.

A formação lusa teve de disputar os oitavos de final da competição, depois de ter terminado a fase de grupos no terceiro posto, atrás do Japão, que, ao vencer o grupo, se apurou diretamente para os ‘quartos’, e da Polónia.

Apesar da vitória por 3-0, a tarefa de Portugal não se revelou fácil, principalmente nos dois primeiros encontros, ambos resolvidos com 3-2 favoráveis aos jogadores lusos.

Com as dificuldades a aumentarem com o evoluir da competição, João Monteiro foi o primeiro a entrar em ação e, depois de ter estado a vencer por 1-0, teve de recuperar de uma desvantagem de 2-1 para derrotar Sin Hyok Pak por 3-2.

Tarefa idêntica teve de realizar Marcos Freitas, que entrou mal no embate diante de Il Choe e esteve a perder por 2-0. No entanto, o jogador luso mais bem classificado no ranking mundial (11.º) deu a volta ao resultado, superando o oponente por 3-2.

Embora Portugal contasse com uma vantagem mais tranquila no marcador, Tiago Apolónia, o terceiro a entrar em ação, não facilitou e desembaraçou-se com relativa facilidade de Wi Hun Kang, que superou por 3-0.

Agora, a equipa portuguesa está a apenas uma vitória de atingir o seu melhor resultado de sempre em Mundiais, precisando para isso de superar nos quartos de final a Coreia do Sul, apurada diretamente da fase de grupos.

Na competição feminina, Portugal disputou a manutenção com a Itália e perdeu por 3-0, descendo de divisão.

Os Campeonatos do Mundo por equipas decorrem em Kuala Lumpur até 6 de março.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)